Apresentação

Gerar, disseminar e debater informações sobre ENERGY DRINKS, sob enfoque de Saúde Pública, é o objetivo principal deste Blog produzido no Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde - LabConsS da FF/UFRJ, com participação de alunos da disciplina “Química Bromatológica” e com apoio e monitoramento técnico dos bolsistas e egressos do Grupo PET-Programa de Educação Tutorial da SESu/MEC.

Recomenda-se que as postagens sejam lidas junto com os comentários a elas anexados, pois algumas são produzidas por estudantes em circunstâncias de treinamento e capacitação para atuação em Assuntos Regulatórios, enquanto outras envolvem poderosas influências de marketing, com alegações raramente comprovadas pela Ciencia. Esses equívocos, imprecisões e desvios ficam evidenciados nos comentários em anexo.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Bebidas energéticas



Atividade das bebidas energéticas no organismo
O consumo de bebidas energéticas vem se popularizando em todo o mundo, principalmente entre jovens. Elas são compostas por diversas substâncias, dentre elas a cafeína e taurina, sendo a primeira um estimulante potente do SNC, levando a maior atenção nas atividades devido ao aumento no poder de concentração.Observa-se também aumento na agilidade de músculos em respostas à estímulos,são bastante eficazes em caso de solência e principalmente usado no combate ao cansaço físico por poupar energia da musculatura e usar fontes de maior energia , as gorduras acumuladas no corpo.
Entretanto, alguns efeitos maléficos podem ser observados quando consumido em altas doses, acima de 1g, o equivalente a 13 latas de Red Bull, por exemplo, onde há aceleração no ritmo cardíaco, aumento da temperatura corporal e da pressão arterial.
Quanto a taurina, ela compõe os sais biliares que respondem na absorção de gorduras, atuando como regulador do equilíbrio das células nervosas no metabolismo e na transmissão de mensagens entre as células,possui também efeito antioxidante e detoxificante.
Nas células do coração pode ter efeito de aumento na freqüência cardíaca, podendo desencadear em disritmias. Portanto, realizar atividade física logo após do consumo de bebidas energéticas é desaconselhável, podendo levar ao aumento da pressão arterial, disritmias, desencadeando em sobrecarga e infarto fulminante.
No entanto, a concentração de componentes do produto é muito alta. A absorção desses nutrientes não é satisfatória, gerando acúmulo de água e aminoácidos na luz do intestino, promovendo diarréia intensa e desidratação.
No entanto, a bebida pode ser consumida moderadamente para melhora na concentração durante aprendizagem, sonolência e fadiga muscular.



Associar ou não bebidas alcoólicas e energéticos?

As bebidas energéticas têm o propósito de oferecer energia a pessoa que a ingeriu, para realizar de forma satisfatória as atividades do dia a dia. Sendo compostas por grande quantidade de açúcar (levando ao acúmulo de calorias e ao ganho de peso) e por taurina e cafeína, fazendo com que os energéticos funcionem como estimulantes, já que atuam fortemente no sistema nervoso.
A mistura desse tipo de bebida com as bebidas alcoólicas causa um efeito muitas vezes perigoso. A cafeína, igualmente ao álcool pode promover desidratação, sendo que a associação intensifica esse efeito.
Estudos mostram que a taurina diminui os efeitos do álcool, o que acarreta num aumento do consumo desta substância de forma despercebida.
Os riscos desta mistura não são descritos nos rótulos das bebidas energéticas, há apenas o aviso: “NÃO É RECOMENDADO O CONSUMO COM BEBIDA ALCOOLICA”, colocado em negrito, letras pequenas e ocupando um espaço mínimo na embalagem, sem prejudicar a propaganda do produto. O Red Bull, por exemplo,um energético conhecido e muito consumido, apresenta em seu rótulo o aviso descrito desta forma, bem como, os energéticos Flash Power, Burn ( Coca-Cola). Portanto isso representa um risco a saúde do consumidor.

14 comentários:

Karla disse...

Achei o trabalho bastante interessante, sobretudo considerando que atualmente o ritmo de vida das pessoas está cada vez mais acelerado e tanto a competição como a exigência por superação do desempenho no trabalho estão progressivamente maiores. Nesse contexto, o consumo de bebidas energéticas que forneçam ao índivíduo mais capacidade de concentração e aumente sua energia para as tarefas cotidianas, tem sido popularizado. Por isso, é realmente válido o alerta, para que o consumo deste tipo de bebidas seja racional e consciente, uma vez que tem a propriedade de estimular o SNC. O levantamento da questão sobre os perigos da associação destes produtos com álcool é super importante, visto que essa é uma prática relativamente comum a alguns jovens, sobretudo em bares e boates, e muitos nem tem idéia do quanto isso pode ser prejudicial à saúde.Provavelmente, se a legislação que cobre a comercialização deste tipo de bebida fosse mais rigorosa quanto a questão de sua apresentação e rotulagem, as informações a respeito de suas recomendações de uso seriam mais evidentes e os problemas e consequências decorrentes de seu consumo indevido seriam bastante reduzidos.Entretanto, por uma questão de marketing e imagem do produto, que o vende como "transgressor de limites, aquele que te dá asas" , não deve existir interesse por parte da indústria sobre a o aconselhamento do consumidor nesse sentido.



Karla.

Jacqueline disse...

Gostei muito da postagem, até porque pude fazer um link com o trabalho de alimentos para esportistas, visto que as bebidas energéticas possuem cafeína que é um estimulante do sistema nervoso central e portanto pode atuar como um auxílio ergogênico, ou seja aumenta o trabalho muscular.
Além disso, a cafeína pode atravessar a barreira hematoencefálica e afeta vários centros celebrais, acarretando aumento da excitação e diminuição da sonolência. Mas vale lembrar que seus efeitos são dose dependente e variam com o metabolismo individual, e que o consumo em excesso prejudica a saúde, conforme diz o texto, além de causar certa dependência.

Bianca disse...

Eu li em um site que essas bebidas energéticas são consumidas por esportistas, porém essas bebidas, que possuem cafeína em sua composição, podem causar, quando ingeridas em grandes quantidades, aumento da frequencia cardíaca e aumento da pressão podendo levar a um infarto fuminante quando associado ao exercício físico.No entanto, esses riscos não são informados ao consumidor, muito pelo contrário,essas bebidas dão uma idéia, através do rótulo, de serem inofensivas.O marketing é, sem dúvidas, o grande vilão nesse caso, e então com o intuito de vender cada vez mais, os avisos realmente importantes e a orientação adequada são postos em segundo plano.

Marta Maior disse...

Assim como no casos dos isotônicos, há um erro conceitual no uso do termo, já que as bebidas energéticas não se constituem das fontes de energia para o organismo (carboidratos, lipídios e proteínas) mas sim como estimulantes do SNC.
O uso desses termos leva o consumidor a achar que está consumindo uma coisa que não corresponde ao conteúdo da bebida. Ao meu ver, isso colabora para o uso inadequado dessas bebidas.

Marta Maior disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thaiscanuto disse...

As bebibas energéticas são consumidas associadas com bebidas alcoólicas por muitas pessoas, acreditando que haverá algum benefício, o que não é verdade.Já que não se deve consumir as duas juntas. Consumida sozinha não gera malefícios, lógicamente se isso for em doses moderadas.
Apesar da combinação de nutrientes nas latinhas, o ingrediente mágico das fórmulas parece ser o marketing, que consegue aumentar cada vez mais as vendas das bebidas energéticas

Fabiana Lino disse...

Realmente há distorção do conceito de bebidas energéticas, sendo assim o produto deveria ser composto apenas por nutrientes que de fato forneçam energia ao organismo.
No entanto, o que se observa é a presença de quantidade mínima de carboidratos e quantidades absurdas de vitaminas , com 100% do valor diário recomendado.Logo, o consumo em excesso poderá levar a casos de intoxicação,e ainda a presença de substâncias estimulantes que podem acarretar em grandes danos.Portanto, uma dieta equilibrada seria uma melhor solução para suprir a deficiência de energia e vitaminas que o organismo necessita para manter-se saudável.

Fabiana Lino disse...

Click aqui e veja apresentação:
http://docs.google.com/Presentation?id=dfcrp8hc_0hbzvqchf

maria carolina disse...

Posso observar que, a exemplo do produto do meu trabalho, o rótulo dos 'energy drinks' também só informam o que lhes convém. Porque dizer em letras pequenas que não deve ser consumido com bebidas alcoólicas não é o bastante para que o consumidor enxergue o perigo que essa associação resulta, como está bem descrito nesse blog. Enquanto a propaganda - principalmente do red bull - trabalha no sentido de ser uma bebida que te leva às alturas, não importe que preço você venha a pagar por isso, as dos produtos diet e light também dão a falsa idéia que é fácil adquirir saúde na era dos alimentos zero mágicos que nutrem, mesmo sem gordura nem açúcar. É, percebo que a propaganda tem sido mesmo a alma do negócio, já que como negócio a saúde é muito rentável nesse nosso país.

Daniele disse...

Muito interessante o trabalho chamar a atenção ao fato da associação desses energéticos com as bebidas alcoólicas levar a um maior consumo de álcool. Essa informação é muito importante, pois o que é mais observado nos bares e festas é essa associação. A advertência que vem no rótulo é muito pouco frente ao efeitos indesejados que a mistura pode trazer a pessoal. Mais ações deveriam ser feitas para conscientizar mais as pessoas do malefício dessa mistura.

Claudia Baptista disse...

Gostei bastante da abordagem de vocês em torno dos energéticos... todos sabemos que causa algum mau, mas nunca entendemos bem o porquê e na hora da "farra", ninguém pensa muito nisso. Foi ótimo saber sobre isso e ter os nomes dos "vilões" a partir de agora.

Queria também dizer que a segunda parte falando da associação com álcool é bastante relevante e que o post está bem completo, respondendo as principais dúvidas e ainda traz um ponto interessante que é a desidratação que essas bebidas fazem, coisa que poucas pessoas devem saber.

Parabéns, espero que leigos também consigam ter acesso ao texto.

Transgênicos disse...

O que mais achei interessante nesse trabalho foi abordar o tema álcool x bebidas energéticas, que é um assunto super em alta entre jovens. Acredito que não basta só a legislação ficar me cima, ou proibir... pois para muitos o que é proibido é melhor, mas sim informar também de forma enérgica a todos sobre os males, pais, professores, etc. Achei o trabalho com uma linguagem clara e que pode atuar também como alerta.
Cecília
Cecília

Anônimo disse...

Eu tomei energético e depois bebi cerveja a mais á noite senti a temperatura do meu corpo e senti a pressão alta! muito ruim...

Jorge Ramiro disse...

Eu trabalho em ums restaurantes em moema e me lembro que algumas dessas bebidas foram proibidas por algum tempo. Ainda assim, não sao vendidas em restaurantes.